sexta-feira, 2 de setembro de 2011

SÉRGIO BENEVENUTO

Depois de ter apresentado em seu primeiro disco “ONDE ANDARÁ RUFF CUTZ?” um jeito peculiar de compor e arranjar,SÉRGIO BENEVENUTO destila mais ainda esta fórmula com o não menos fascinante mundo de “IO” (“eu” em italiano; a bela Lua de Júpiter; a ninfa que encantou Zeus e foi transformada em novilha; o In/Out do universo do Áudio, etc.). O CD conta com a participação de 22 super instrumentistas que, sob a batuta de Benevenuto, colaboram nas 10 “cenas” musicais que se espalham pelos diversos significados de “IO”.
A história de Sérgio (que começou nos anos 70 em Vitória como músico e compositor no agito cultural da época) aconteceu principalmente nos bastidores. Nos anos 80, mudou-se para Boston/USA e graduou-se “Magna Cum Laude” na conceituadaBerklee College of Music. Voltou para o Brasil (RJ) e elaborou uma metodologia inédita de ensino que formou uma legião de instrumentistas de grande representatividade como Heitor TP (ex-Simply Red, atualmente trabalhando em trilhas para a Dreamworks), Arthur Maia (baixista de Gilberto Gil), Fernando Caneca (que fez parte, durante vários anos, da banda de Marisa Monte e hoje toca com Maria Gadú), Ézio Filho (baixista de Zélia Duncan, para quem assina a direção musical de diversos shows). Também prestou serviços para artistas (como Baby do Brasil, Raphael Rabelo, Marcelo Bonfá e etc.) e gravadoras como a EMI, onde atuou na criação de um conceito, até então inédito no Brasil, ao cifrar e colocar no encarte, as músicas do CD “Verde, Anil, Amarelo, Cor de Rosa e Carvão” de Marisa Monte. No Rio de Janeiro, constituiu ao lado de parceiros como Mayrton Bahia, Fábio Fonseca, Carlos Pedruzzi e Fábio Henriques a Rio Música, primeira escola a oferecer um curso completo de Produção Fonográfica no Brasil.
Com essa extensa experiência, Sérgio começa a fazer no final dos anos 90, o circuito RJ/ES, disponibilizando todo seu conhecimento como professor e atuando fortemente como produtor musical. Neste período, Benevenuto produziu mais de 10 discos, alguns deles com destaque nacional como o primeiro da banda Solana (que colheu elogios entusiasmados como os de Fernanda Abreu, que veio ao estado só para conhecer a banda e do vocalista do U2, Bono Vox), e o da banda Rajar (que já no seu primeiro CD emplacou uma música no seriado Malhação, da Rede Globo). Outras bandas que levaram a assinatura do produtor no disco foram Lucy, Supercombo, e Ócio. Ainda fazem parte deste pacote, produtos diferenciados como o CD “Ao Vivo em Vitória” que marcou o encontro histórico de 4 grandes nomes da música instrumental (Carlos Malta, Marcos Suzano, Victor Biglione e Arthur Maia) durante o show homônimo que aconteceu no Teatro Carlos Gomes, em Vitória/ES.
A partir de 2007, impulsionado por sua criatividade latente, começou a produzir os seus próprios discos, apoiados por leis de incentivo locais. Os dois discos têm vários pontos em comum. Todos dois mergulham no tema que os conceituam num passeio quase cinematográfico. O primeiro, “Onde Andará Ruff Cutz?”, tem como parceiro um banco de loops de bateria chamado Ruff Cutz, uma paródia a “rough cuts” (“takes toscos” ou “cortes toscos”), gravados por um músico holandês descoberto em suas pesquisas na internet. O CD teve um reconhecimento instantâneo ao ficar entre os finalistas do Prêmio da Música Brasileira em 2008.  Musicalmente o artista imprime sua marca em composições e arranjos sempre inquietos e inusitados, com o domínio de um grande conhecedor. Utilizando uma linguagem moderna e sofisticada, seus discos contam com participações mais que especiais de uma constelação de instrumentistas renomados que surpreendem com suas vigorosas atuações.
Nos último ano, além de “IO”, Benevenuto produziu os discos dos grupos Saia no Samba (lançado em 2010) e Is Cool?, Adios Me Voy e Derengos, ainda a serem lançados. Atualmente está desenvolvendo vários projetos pessoais, dentre eles o grupo virtual (“cartoon band”) Bardot Mobile, a reativação do seu selo e editora

Brazilian Music Factory (BM Factory). Exerce também a função de diretor da Escola de Áudio e Música Popular (AMP), sediada em Vitória/ES.


DISCOGRAFIA:
 (2008) ONDE ANDARÁ RUFF CUTZ?
Sérgio Benevenuto, produtor musical, professor, arranjador e músico, após longa caminhada nos bastidores da música, lançou seu primeiro disco em 2008. Com interessante proposta de fazer disco "cinematográfico" em que melodias facilmente convertem-se em imagens, recrutou competentes músicos para gravar "Por Onde Andará Ruff Cutz". A intenção foi fazer disco de malemolente pegada em que os artistas estariam livres para suingar, não muito presos a script pré-estabelecido. Por considerar-se mais arranjador e produtor, Sérgio empenhou maior esforço em arranjos e melodias ao invés de virtuose em solos de instrumentos.
Ouço "Ruff Cutz" e tenho impressão de ver Sérgio passeando dentro do universo musical que o circula. É obra do artista olhando para fora, como bem ilustra a capa, a procura está pelas ruas de suas cidades .
Gosto muito do diálogo entre duas vozes nas faixas "As Franjas do Vestido de Sônia" (flauta em sol que me remete às praias de Los Angeles de um lado e trompete de noites de jazz em NY do outro) e "O Suingue do Menino no Molejo Dela", repletas de cadência jazzística e interessante suingue. Destaco também a faixa "Cores da Alma" que tem pegada intimista e belíssima instrumentação.
FICHA TÉCNICA:
Produzido e Arranjado por Sérgio Benevenuto 
Coproduzido por Ézio Filho
Músicos convidados: Marcelo Martins, Jessé Sadoc, Roger Bezerra, Ézio Filho, Edu Szajnbrum, Arthur Maia, Heitor Pereira (TP), Alza Alves, Rodrigo Lessa, Fernando Caneca, José Canuto, Alexandre Lima, Ótávio Ribeiro, Marcelo Menezes, Cesinha, Fernando Nunes, Paulo Faria, Fabiano Araújo, Cláudio Infante e Beth Bruno.
Gravado entre 2006 e 2007 no estúdio EG – RIO DE JANEIRO/RJ.
01 - Ocrópteros
02 - As Franjas do Vestido de Sônia
03 - De Repente na Cidade Tour
04 - Cores da Alma
05 - Mas a Parada é Dupla
06 - Absinto
07 - Kalma Lá,Vizim
08 - Mania de Perseguição
09 - O Suingue do Menino no Molejo Dela
10 - Onde Andará Ruff Cutz?

(2011) IO
Três anos após ter ter apresentado em seu primeiro disco "Onde Andará Ruff Cutz?" um jeito peculiar de compor e arranjar, Sérgio Benevenuto destila mais ainda esta fórmula com o não menos fascinante mundo de "IO" ("eu" em italiano). Com o conceito mais introspectivo da bela Lua de Júpiter, a ninfa que encantou Zeus e foi transformada em novilha, o In/Out do universo do Áudio, etc.
"Eu trabalho radicalmente o conceito que eu quero antes de escrever qualquer nota. Então, antes de começar a escrever o IO eu ja tinha esse universo que ele significava, da lua de Júpiter. Entao já fui atrás buscando um pouco isso. Naturalmente o som foi ficando mais morno, diferente do disco de estreia. O IO, como é o eu em italiano, eu pensei como um disco mais confeccionado, um pouco mais no ouvido do ouvinte. O Ruff foi aquela explosão de saída, com aquele gás. A mensagem era outra. E o IO é um pouco mais introspectivo nesse aspecto", diferencia Sérgio seus dois produtos.
FICHA TÉCNICA:
Produzido e Arranjado por Sérgio Benevenuto
Coproduzido por Ézio Filho
Músicos convidados: Marcelo Martins, Jessé Sadoc, Roger Bezerra, Ézio Filho, Edu Szajnbrum, Carlos Bernardo, Juninho Curcio, Alza Alves, Victor Biglione, Carlos Malta, André Carneiro, Marcos Nimrichter, Paulo Sérgio Santos, Fábio Calazans, Paulo Faria, Sérgio Chiavazzoli, Marcos Suzano, Ney Conceição, Márcio Bahia, Roberto Marques, Andrea Ernest Dias e Tomás Improta.
Gravado entre maio e outubro de 2010 nos estúdios EG e AUDIOLUME – RIO DE JANEIRO/RJ.


VÍDEOS/CLIPES:


CONTATO:


SITES:



Nenhum comentário:

Postar um comentário